Apresentação

23, 24 e 25 de NOVEMBRO de 2015 –  Fundação Casa de Rui Barbosa – Rio de Janeiro, RJ – Brasil
25 e 26 de NOVEMBRO de 2015 – visita guiada a dois museus com acervos provenientes de coleções particulares e que hoje são públicos, com objetos de arte tanto europeus quanto brasileiros.

Trata-se de reunião científica de pesquisadores, especialmente luso-brasileiros, para compartilhar e confrontar pesquisas acerca de coleções de arte desenvolvidas nos séculos XIX e XX, com ênfase nas conexões possibilitadas pelos objetos de arte e artefatos agrupados por colecionadores e que hoje estão disponíveis para o público em museus e arquivos luso-brasileiros.

Para 2015, deseja-se refletir sobre o papel das coleções de arte na constituição de uma História da Arte no Brasil e em Portugal, partindo da premissa de que as coleções desempenharam um papel central no campo das artes visuais luso- brasileiras, ao assumir diferentes recortes ou selecionar determinadas obras que afetam de forma significativa o modo de visualizar e pensar a arte e sua história. Serão abordados três eixos de colecionamento:

§  As coleções formadoras: coleções matriciais inscritas e inseridas nas narrativas da arte brasileira e portuguesa, com destaque especial para coleções públicas de diferentes geografias. 

§  As coleções periféricas: acervos tangenciais que merecem novas abordagens e que reorganizam os referenciais da própria história da arte.

§  Colecionadores e coleções: o papel dos agentes formadores, com destaque às coleções particulares que impactam a escrita e a crítica sobre as artes visuais no Brasil e no exterior, especialmente Portugal.

§  Coleções, representações e narrativas: discursos críticos sobre coleções, muitas delas inexistentes ou retalhadas e que só deixaram como índice os discursos que as representam.

Motivação:

Em 2014, o 1º colóquio internacional “Coleções de Arte…” ocorreu na Fundação Calouste Gulbenkian, com o tema “perfis e trânsitos”, objetivando mapear coleções que agregavam referências de diferentes continentes, enfatizando as coleções como lugares privilegiados para estudos multidisciplinares a partir da história da arte. A natureza das coleções permitiu refletir sobre estilemas de artistas, escolhas de marchands e lógicas de compradores, bem como de suas estratégias, situando os objetos de arte diante dos mercados e dos trânsitos promovidos por esses circuitos de trocas, doações e viagens.

A grande recepção encontrada pelos pesquisadores portugueses e brasileiros e os excelentes resultados de intercâmbio de saberes e fontes levaram à proposição da continuidade do evento, sendo sua segunda versão sediada no Brasil e organizada pelas mesmas pesquisadoras: Marize Malta, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e Maria João Neto, da Universidade de Lisboa.

Somado a esse esforço, justapõe-se a proposta do grupo de pesquisa MODOS (História da Arte: modos de ver, exibir e compreender) (http://gpmodosdever.wordpress.com) que, além de ter participado do colóquio sobre “Coleções de arte…”, realizou evento nacional em torno do tema “Histórias da Arte em exposições: modos de ver e exibir no Brasil” com o objetivo de discutir exposições consideradas “cruciais” para/pela nossa história da arte. Para 2015, o grupo pretende pensar a história da arte em coleções, ou seja, pensar criticamente as coleções fundamentais (nacionais e internacionais) que constituíram de modo protagonista as histórias da arte no Brasil e em Portugal.

Logos GERAL2

Anúncios